Braziljs 2012, a maior conferencia de javascript do Universo!

2 Set

Brazil JS 2012: primeira manhã.

O evento mereceu a alcunha de ” A maior conferência de javascript do universo”. No seu segundo ano o pessoal da organização deu um show!

O teatro do Bourbon Country foi uma ótima escolha, a visibilidade do palco era boa de qualquer lugar. A PROCEMPA, orgão da prefeitura de Porto Alegre, ofereceu a estrutura para a wireless, que caiu algumas vezes mas funcionou a maior parte do tempo, o que é um feito num evento com mais de 900 pessoas. Quatro máquinas de café e mais um monte de garrafas térmicas de grande porte durante os coffee breaks garantiram o abastecimento de café.

Com grandes nomes palestrando e uma excelente distribuição os dois dias foram excelentes!

Primeiro dia

Um pouco de confusão na entrada devido ao grande número de pessoas, a organização liberou algumas pessoas para entrarem no final para que o evento não atrasasse demais, durante os coffee breaks as pessoas puderam pegar suas credenciais e tudo se resolveu.

A primeira palestra jQuery: The Next 5 Years com Richard D. Worth, diretor executivo da fundação jquery foi bastante “política”. Fazendo a palestra em português, Richard iniciou com muito bom humor comparando a popularidade de comida e futebol com jquery (usando o google trends), foi bastante pragmático quanto ao sucesso do jquery e contou um pouco da história da biblioteca até os dias atuais, culminando com a criação da jquery foundation.

Deixando claro os objetivos da fundação de suporte à comunidade Richard deixou aberto o e-mail membership@jquery.org para aqueles que queiram se filiar e ajudar a biblioteca presente em 50% dos sites.

Na sessão de perguntas Richard deixou claro que o suporte ao IE6/7/8 não será um grande problema, a versão 1.9 continuará dando suporte a eles e a API da versão 2.1 continuará a mesma, portanto os plugins e jqueryUI não terão problemas para rodar com uma versão ou outra. Cabe ao usuário decidir. As duas versões deverão continuar com desenvolvimento ativo por um bom tempo ainda.

Em seguida tivemos o @leobalter falando sobre testes, se focando mais em porque testar do que em como testar foi uma excelente palestra! Sinceramente espero que mais palestrar como essa apareçam mostrando que o importante é testar, independemtemente da metodologia, e que mesmo sendo adepto de uma metodologia ela não deve ser levada a ferro e fogo. Ele causou alguma polêmica ao defender que os testes devem ser escritos a partir dos da documentação de requisitos, e que o plano de testes não a substitui. Parafraseando alguns slides do palestrante “Bugs não fazem parte de uma especificação” e “Testes não validam especificação! Testes não criam especificação!”.

Compartilho da mesma opinião, mesmo usando o BDD a documentação de requisitos tem seu papel, e devemos lembrar que os testes devem cobrir mais do que os requisitos, eles devem cobrir especificidades da linguagem, filtragem de métodos de entrada, conversão, segurança… E tudo isso é muito vago na especificação. Ao encontrar um bug na aplicação você deve cobri-lo com um teste, e isso não faz parte da especificação, portanto uma não engloba nem exclui a outra.

Uma boa especificação é sempre o primeiro passo para um plano de testes e um plano de testes o primeiro passo para uma boa cobertura da aplicação.

Encerrando a manhã tivemos Maximiliano Firtman com a palestra Breaking limits on JavaScript with mobile HTML5, tive que sair para responder alguns e-mails então vou copiar descaradamente o trecho do post do Elias Era, meu companheiro de viagem nesse evento:

O argentino Maximiliano Firtman tentou matar um pouco dos mitos do desenvolvimento mobile, principalmente ao que envole “Nativo Vs HTML5″ e como na maioria das vezes para o usuário os dois tipos de aplicativos são indiferentes. Uma das dúvidas levantas para ele, era a questão de “deixar sua regra de negócio visível” para todos por meio do javascript no caso de webapps. O que fez Maximiliano nos lembrar que não é complicado “descompilar” um código java e que o “perigo” está nos dois mundos.

Óbviamente que os apps “nativos” sempre serão alguns ao menos milisegundos mais rápido, porém temos que levar em consideração as vantagens do “write once, run everywhere”, tudo dependendo do que é mais importante para o seu projeto.

Pudemos conversar com o Maximiliano antes da entrada do segundo dia e ele DOMINA o assunto de desenvolvimento mobile, seja usando webapps, apps nativas, phonegap ou titanium ele deu um show respondendo todas as nossas perguntas.

Enhanced by Zemanta
Vendo agora em retrospecto só a manhã do evento já valeu a viagem!
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (3 votes cast)
Braziljs 2012, a maior conferencia de javascript do Universo!, 5.0 out of 5 based on 3 ratings

2 Responses to “Braziljs 2012, a maior conferencia de javascript do Universo!”

  1. Emerson Rocha Luiz (fititnt) setembro 2, 2012 at %H:%M 11Sun, 02 Sep 2012 23:14:50 +000050. #

    Concordo plenamente com tudo que disse nesse post!

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
    • handrus setembro 3, 2012 at %H:%M 12Mon, 03 Sep 2012 00:15:45 +000045. #

      @Emerson Rocha Luiz (fititnt): Obrigado fititnt! Acho que palestras como a do Leo Balter ajudam a desmistificar os testes e mostrar, pricipalmente para empresas, que o foco não deve ser se teste deixa o desenvolvimento mais lento ou mais produtivo e sim que um trabalho profissional envolve testes e ponto.

      VN:F [1.9.22_1171]
      Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Leave a Reply